Vitória 360

Skip to content

Corrida de Rua

A corrida de rua é dos esportes mais praticadosem Vitória, superando os esportes náuticos e atividades de bicicleta. Impulsionados por uma saúde melhor, o movimento de pessoas para as corridas é tão forte que sugere uma nova cultura. Como em outras cidades do Brasil, ficou muito popular nos últimos anos, ganhando provas de 5, 10, 15, 20 em quase todos os finais de semana da cidade, tendo a corrida Dez Milhas Garoto com a mais famosa, chegando levar 10 mil pessoas para as ruas.

Ilha do Lameirão

Um passeio diferenciado é conhecer a Estação Ecológica Ilha do Lameirão. Os ecossistemas e os recursos naturais da área incluem peixes, crustáceos, moluscos, répteis, aves e pequenos mamíferos, mas visitantes não podem desembarcar, apenas avistar e fotografar. Destaque para as enormes raízes de mangue, emaranhados que podemos ver com maré baixa. Está localizada próxima a foz do Rio Santa Maria da Vitória. É bom ter um guia de ecoturismo para não se perder.

Convento São Francisco

O frontispício é o que sobrou do Convento de São Francisco, construído em local de destaque na Cidade Alta por freis franciscanos no final do século XVI, a pedido do donatário da Capitania do Espírito Santo Vasco Fernandes Coutinho Filho. Abrigou diversos usos: Orfanato Cristo Rei; Residência Episcopal; Rádio Capixaba; Colégio Agostiniano e Residência das Irmãs Carmelitas. Atualmente abriga a Cúria Metropolitana e diversas entidades ligadas à Igreja Católica.

Passos de Anchieta

A caminhada de 4 dias Passos de Anchieta resgata o trajeto percorrido pelo padre José de Anchieta entre a Vila de Reritiba, atual cidade de Anchieta, e Vila Nossa Senhora da Vitória, atual Vitória, onde cuidava do colégio São Tiago onde hoje está o Palácio Anchieta, sede do Governo Estadual. São 100 quilômetros desfrutando de belas paisagens do litoral capixaba. Nessa imagem a  passagem dos andarilhos pela orla da baía de Vitória com vista para o Forte São João e a pedra Penedo.

Palácio Anchieta

A fachada imponente de frente para a baía de Vitória chama a atenção de quem passa na parte baixa da cidade. A escadaria valoriza a aparência do Palácio Anchieta, que teve construção iniciada por jesuítas no SEC XVI para abrigar  igreja e colégio São Tiago e virou sede do Governo Estadual em 1798. Abriga o túmulo do Padre Anchieta, guarda valiosa coleção de utensilios e obras de arte, tem galeria de arte que recebeu exposições de Leonardo Da Vinci, Manet, Renoir e Marc Chagall.

Forte Saldanha

O Forte começou improvisado com madeira, pedras e areia em 1592 pela necessidade dos moradores da Vila de Vitória de impedir que o pirata inglês Thomas Cavendish saqueasse a ilha. No prédio, que tem nome original de Forte São João, funcionou o Cassino Trianon, a sede do Clube Saldanha da Gama, uma edificação da mostra Casa Cor, e serviu de sede administrativa de secretarias do município e do Estado. Hoje pertence a Prefeitura de Vitória que pretende restaurá-lo.

Praia de Camburi

O calçadão da Praia de Camburi é provavelmente o espaço de lazer mais utilizado da capital. Praticantes de caminhadas, corredores, usuários de skates, bicicletas e patins adotaram a orla de 6 quilômetros como preferida. O mar é ideal para prática de kite-surf. Logo de manhã nadadores vão até a Ilha do Socó. Há dois quiosques para venda de comidas e bebidas. Nos domingos uma pista de carros fica fechada para o laser. Vale a pena um passeio nas manhãs e finais de tarde

Praça Oito de Setembro

Um relógio marca o seu centro, foi cenário de grandes manifestações populares como as Diretas Já, os Caras Pintadas, manifestações sindicais, comícios do então candidato a presidente Lula e tantos outros eventos cívicos que firmaram mais a praça na história da cidade. Está no Centro da cidade, num ponto de aterro que foi conhecido como Cais Grande e Cais da Alfândega. Seu nome é uma homenagem a data de aniversário da cidade de Vitória.  

Ilha das Caieiras – pier e restaurantes

Lugar das marisqueiras, mulheres de famílias tradicionais do bairro que se dedicam a desfiar a carne de siris pescados na região, ponto de vista bom para ver o pôr do sol e degustar moquecas em uma dezena de seus restaurantes de frente para a maré. A Ilha das Caieiras ganhou esse nome por ter havido ali uma fábrica de cal que usava ostras extraídas do mangue como matéria prima.

Carnaval de Rua

O carnaval de Vitória não é forte como nas capitais vizinhas Salvador e Rio de Janeiro, mas quem disse que aqui não tem carnaval? Desfilam muitos blocos de rua que começam a sair 15 dias antes da oficial, grupos de origens, músicas e estilos diferentes. Aqui o Regional da Nair que reúne muitos jovens, se encontram em muitas datas do ano e privilegia o Centro da capital como cenário para desfilar seu repertório, dança e fantasias, tudo improvisado, um carnaval alegre.

Procissão de São Pedro pela baía de Vitória

Essa procissão marítima é boa para quem embarca e para quem fica em terra. O trajeto pela baía permite que embarcados vejam a cidade de um ponto pouco usual, e quem está em terra admira o desfile dos barcos decorados. A saída é na Praia do Suá, bairro de pescadores que tem São Pedro como seu protetor. O apice da romaria marítima é a benção do anzol diante do Convento da Penha. Quem chega cedo consegue embarcar de graça e curtir esse passeio.

Praça Costa Pereira

O nome é uma homenagem a José Fernandes Costa Pereira Júnior (1833-1889) que foi presidente da Província do Espírito Santo entre 1860 e 1863. Recentemente foi reformada e teve o pavimento asfático de seu entorno retirado mantendo paralelepípedos mais originais. É um ponto de encontro arborizado no Centro da cidade, uma enorme sobra do sol que une o Teatro Carlos Gomes e o futuro Teatro do Sesc. Abriga eventos da cultura popular, espetáculos de teatro e música

Museu Maes – Nenna

Museu de Arte do Espírito Santo Dionisio Del Santo existe desde 1998 num prédio tombado no Centro de Vitória, recebe exposições de arte nacionais e internacionais, possui área expositiva com cinco salas e hall, distribuídos em dois pisos, além de um auditório com capacidade para 40 pessoas. Aqui a instalação Tambor da exposição Meditações Extravagantes do artista Nenna, ocorrida em 2012, dá novo sentido a um tambor artesanal erguido ao centro do labirinto de fitas vermelhas

Parque Tancredão – skatepark

O Parque Tancredão é imenso, não é só um skatepark de primeira, cheio de opções de manobras, bem utilizado pelo pessoal das rodinhas. O parque tem piscina, ginásio coberto, campos, quadras, parquinhos, ciclovia, garagem de barcos, um enorme centro de esporte e lazer. Fica no Bairro Mario Cypreste, uma região que tinha poucos equipamentos públicos mas agora pode usufruir de um ótimo espaço.

Pedra dos Olhos

Esse imenso monumento natural com dois enormes buracos que se parecem com olhos a nos vigiar pode ser visto de lugares distantes da cidade, está no parque municipal com seu nome, entre os bairros Tabuazeiro e Fradinhos, uma área com trilhas na mata que levam ao pé da grande pedra. Feliz de quem tem vigor e técnicas para escalar a rocha e alcançar o topo usufruindo da paisagem que aqueles olhos podem ver. Os 296 metros oferecem a maior parede para rappel da ilha.

Igreja do Carmo

O Convento de Nossa Senhora do Monte Carmo foi fundado em 1682 por padres Carmelitas. Entre 1872 e 1896 passou por período de abandono e também foi utilizado pelo governo como quartel militar, logo retomado pela igreja que criou em seu edifício o Colégio Diocesano e o Colégio de Nossa Senhora Auxiliadora, este funcionou no Convento até 1960. Há visitas monitoradas de terça a domingo e feriados, de 09 às 17 horas.

Monumento ao Imigrante Italiano

Dois obeliscos que representam os povos do Espírito Santo e da Itália se elevam, sem se tocarem, insinuando que, mesmo distantes, as culturas se integram. Obra de autoria da arquiteta Sheila Basílio instalada na Praça da Itália, avenida Américo Buaiz, recebe iluminação com as cores da bandeira da Itália. Quem passa por perto logo vê o monumento de 30 metros de altura.

Mirante Parque da Fonte Grande

Um mirante a 300 metros de altura de onde podemos ver muito longe e observar do alto nossa cidade. O Parque está no maciço central da ilha e oferece diversas trilhas para caminhar ou praticar montain bike. É possível observar pássaros e pequenos bichos na mata. Em seu topo as torres de transmissão de tv e rádio. O acesso de carro é pela rodovia Serafim Derenzi, mas a pé, por trilhas e escadarias, será possível entrar pelos bairros do entorno do Parque.

Festival identidade Capixaba

O desfile de mais de 2 mil brincantes de 150 grupos folclóricos pelo Centro de Vitória é o ponto alto do Festival da Identidade Capixaba. O percurso que refaz o caminho e a história dos Caramurus e Peroás, passa por praças, monumentos e igrejas, como a Igreja do Rosário nessa foto 360 graus. Durante do festival os grupos se apresentam em vários bairro da cidade convidando para o desfile final. Evento que não se pode perder, oportunidade para conhecer melhor a cultura capixaba.

Estátua de Iemanjá

Estátua na Praia de Camburi homenageia divindade da cultura afro-brasileira. Não por acaso o quebra-mar onde está a imagem é conhecido como pier da Iemanjá. Construída em concreto armado sobre projeto do artista Annis Zavoudakis e inaugurada em 1988, o local é ponto de encontro de pescadores que lançam suas linhas daquele ponto avançado de terra. No dia 2 de fevereiro, data da festa de Iemanjá “rainha do mar” o pier fica movimentado e a imagem recebe flores e presentes dos devotos.

Escadaria do Palácio Anchieta

A escadaria Bárbara Lindenberg é ao mesmo tempo porta de entrada e moldura do Palácio Anchieta para quem está na parte baixa da cidade, importante ligação entre o o porto e a Cidade Alta. Construída em 1886 pelo arquiteto francês Justin Nobert, está decorada com quatro estátuas de mármore representando as estações do ano. A homenageada Bárbara Monteiro Lindenberg era irmã do ex-governador do Espírito Santo, Carlos Lindenberg (1899-1991).

Estação Porto – show Céu

A Estação Porto é um espaço cultural criado para contribuir com a revitalização do Centro da cidade que funciona dentro do armazém 5 do porto de Vitória. Oferece estrutura de boas vindas aos turistas em cruzeiro marítimo com informações sobre a cultura local e recebe eventos abertos ao público. Já passaram pelo galpão festival de cinema, festival de música, exposições de arte, lançamentos de livros e muitos shows musicais, como esse da cantora Céu registrado em 360 graus.

Viaduto Caramuru

Um viaduto feito para dar passagem de bondes que nunca serviu para esse fim, por medo da estrutura não resistir ao peso ou por impossibilidade do bonde fazer as curvas nas ruas de acesso. Construída em 1925, liga as ruas Don Fernando e Francisco Araújo e hoje atende bem a passagem de carros, ciclistas e pedestres. O nome é tomado da rua sob o viaduto e se refere aos membros da Irmandade de São Benedito do Convento São Francisco, extinta no início do sec XX.

Feira de Jardim da Penha

Frutas, verduras, flores, artesanatos, acessórios para casa, peixes e uma grande diversidade de produtos e serviços se espalham pela Rua Comissário Octávio Queiroz, convidando os moradores de Vitória para mais um dia de sábado na feira livre. Um público variado tem na maior feira da cidade um ponto de encontro com cheiro de interior. Tradicional, a feira de Jardim da Penha funciona de 6 às 12hs e a minha sugestão é saborear o pastel do Japonês ou o pão com carne do Luciano.

Fafi – Festival de Teatro

A Escola Técnica Municipal de Teatro, Dança e Música Fafi funciona num edifício tombado, inaugurado em 1926, que em sua história abrigou a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, que deu origem a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). O nome Fafi é herdado da Faculdade de Filosofia. O Festival Nacional de Teatro Cidade de Vitória é um dos eventos acolhidos pela Fafi e o divertido espetáculo participante Como a Gente Gosta, do grupo Maria Cutia, é cenário dessa foto 360 graus.

Igreja São Goncalo

São mais de 300 anos de história. A igreja de São Gonçalo tem fundação em 1707, quando ali havia uma capela construída pelas irmandades de Nossa Senhora do Amparo e Nossa Senhora da Boa Morte. A igreja, que fica na Cidade Alta, foi tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico nacional em 1948, incluindo suas imagens, alfaias e móveis. O interior é de igreja simples, sem acabamentos dourados, mas a riqueza visual está nas imagens de santos expostos em seus nichos.

Carnaval no Sambão do Povo

Uma passarela para desfile de escolas de samba com capacidade para 15.500 pessoas, divididas em arquibancadas, mesa de pista e camarotes, fora os integrantes das agremiações de carnaval. Destaque para a acessibilidade de pessoas com dificuldade de locomoção. Os desfiles em Vitória acontecem uma semana antes da data oficial do carnaval para não haver conflito com as badaladas apresentações de escolas do vizinho Rio de Janeiro. É um palco de alegria e diversão que movimenta o carnaval de Vitória.

Pier de Pescadores da Praia do Suá

Na Praia do Suá está o principal porto de entrada de pescados de Vitória, um dos bairros mais antigos, com pequenos estaleiros, colônia de pesca e mercado de peixe. Excelente lugar para se comprar peixe, com grande oferta e variedades de pescados. O pier, além de ser uma das estruturas de atracação dos barcos de pesca, é também ponto de saída da procissão marítima em homenagem a São Pedro que ocorre em Junho, data festiva na Praia do Suá. Há restaurantes de moqueca nas proximidades

Parque da Pedra da Cebola

Uma pedra esculpida pela natureza, campo de futebol, pista para caminhadas, parquinho para crianças, vista para o Maciço Central da ilha, para o Porto de Tubarão e para o Morro do Mestre Álvaro, muito espaço para o lazer. O parque fica entre os bairros Mata da Praia e Jardim da Penha. No local existiu uma pedreira de propriedade da Vale, portanto uma área recuperada. No local da antiga jazida ficou um espaço plano onde ocorrem eventos. O Parque é ótimo para passeios e caminhadas

Parque da Mata da Praia

São mais de 44 mil quadrados de vegetação da mata de restinga com trilhas pavimentadas, parquinho para crianças, quadra poliesportiva, campos de futebol society e de areia, playground, pista de bocha. Fica dentro do bairro Mata da Praia e seu nome oficial é Parque Municipal Padre Alfonso Pastore. Ótimo para observar e ouvir pássaros no interior da mata.

Catedral de Vitória

É uma igreja de arquitetura eclética com característica neogótica. Seu tamanho imponente e os vitrais nas paredes são destaques. Relativamente nova, teve sua obra concluída em 1970, e ocupou o lugar da antiga catedral na cidade alta que começou a ser construída em 1950 e foi demolida para dar lugar a essa. Quando menino participei de muitas missas nessa igreja e ficava observando os passarinhos que invadiam a capela voando e cantando.

Calçadão da Praia do Canto

Na orla do bairro Praia do Canto a Praça dos Namorados, o Parque da Ciência, o Iate Clube e o calçadão compõe uma movimentada área de lazer com pessoas caminhando de manhã e de tarde, e nos finais de semana com a feira de artesanatos e comidas da praça dos Namorados. A proximidade com o mar, a sobra de coqueiros e castanheiras e a vista das ilhas do Boi e do Frade completam esse ambiente de atividades ao ar livre.

Santuário-Basílica de Santo Antônio

O lindo templo é sede da Paróquia de Santo Antônio. Teve sua construção iniciada em 1956 seguindo o modelo arquitetônico da Igreja-Santuário de Nossa Senhora da Consolação, de Todi Itália, com uma gigantesca cúpula central e as quatro semi-cúpulas. O templo tem capacidade para receber 2.000 fiéis e o prédio, com altura de 38 metros pode ser visto de longe compondo a paisagem do bairro Santo Antônio. É a única do estado com título de basílica concedido por Roma.            

Morro da Gamela

O Parque Municipal Morro da Gamela ainda não conta com infraestrutura, não há degraus ou muretas de proteção, mesmo assim a subida é fácil se feita com cautela. É ponto de oração e concentração de peregrinos de várias religiões. O acesso é pela rua Dr Eurico de Aguiar, em Santa Lucia. A recompensa é chegar ao topo e ter o visual da cidade, o lazer contemplativo, a fuga da rotina em pleno núcleo urbano. Uma câmara fotográfica será indispensável.

Paneleiras de Vitória

A moqueca e a torta capixaba perdem um pouco de sua legitimidade se não forem feitas na panela de barro. Tradição artesanal de mais de 400 anos é reconhecida nacionalmente como um Bem Cultural de Natureza Imaterial e titulada como Patrimônio Cultural Brasileiro. Graças às paneleiras, atividade predominantemente feminina, a tradição indigena foi mantida. Na imagem 360 graus no Galpão das Paneleiras em Goiaberas: Valdelicis, Roseneia, Lucy, Evanilda, Nilcéia, Marinete e Eraldo.

Memorial da Paz – Praça do Papa

Ao pé da Cruz Reverente, monumento do escultor Iannis Zavoudakis, concebida para a missa do Papa João Paulo II, em 1991, o Memorial da Paz, um espaço espositivo pensado para evocar temas ligados à paz. A ampla Praça do Papa, onde está a Cruz, o Memorial da Paz e onde o chefe da igreja católica conduziu uma missa, bairro Enseada do Suá, tem visão panorâmica junto ao mar da baía de Vitória e vocação para receber eventos de grandes dimensões que ocupam seus 67.000m²  

Praia na Ilha do Frade

A Ilha do Frade, bairro nobre ocupado por mansões, é mesmo uma ilha, ligada a ilha de Vitória por uma ponte. Suas praias são mais frequêntadas por moradores de bairros mais pobres que as ocupam em intensidade nos finais de semana do verão. Aqui nesse tour virtual uma imagem da prainha do lado direito da ponte de acesso, ocupada de banhistas principalmente crianças; E duas esféricas da praia do lado esquerdo da ponte, um ambiente pitoresco ocupado de barcos a remo.      

Navio de turismo no Porto de Vitória

Vitória está na rota dos navios de cruzeiro, aqui chegam transatlânticos com 1.800 passageiros que se misturam na cidade para conhecer nossos atrativos turísticos. O porto de Vitória, que também recebe cargueiros, está passando por reforma de ampliação em seu berço de atracação que será ampliado de 356 para 456 metros em seu comprimento, de 20 para 40 em sua largura, e de 9 para 12,5 metros no calado. Isso permitirá atracação de embarcações maiores e com mais cargas.

Praia da Curva da Jurema

A Curva da Jurema é uma praia popular, ambiente de muitos frequêntadores entre as ilhas do Boi e do Frade. Os quiosques e restaurante são uma atração importante, servem pratos da comida típica, moqueca e torta capixaba, e também peixe frito, churrasco e batatas fritas. Nos domingos de verão não é fácil conseguir uma mesa de quiosque ou mesmo um lugar na areia para colocar cadeira. Fora os dias quentes e finais de semana a praia fica assim, tranquila, boa para caminhar e relaxar.

Enseada do Suá

Bairro de alta valorização, a Enseada do Suá existe sobre um dos aterros que somados expandiram territorial da cidade de Vitória em dez quilômetros quadrados. Essa mudança de paisagem da ilha promoveu o aparecimento de novas praias com novos desenhos, exemplo é a Praia do Meio, logo abaixo da terceira Ponte, a única com ondas da ilha, bem no acesso de navios ao Porto de Vitória, com vista para o Convento da Penha.

Escadaria Dionisio Rosendo

Liga a rua do mesmo nome, antiga Rua das Flores, à Praça Dom Luiz Scortegagna, onde se encontra a Catedral Metropolitana, sobe a frente do Hotel Majestic. Dionísio Rosendo foi vice-presidente da Província do Espírito Santo. As escadarias do centro possuem sua importância na composição histórica de Vitória, servindo de conexão vertical entre a parte baixa e a aparte alta da cidade.

Terceira Ponte

Quem mora numa ilha sabe a importância de uma ponte! O nome oficial é ponte deputado Darcy Castello Mendonça mas o povo chama mesmo de Terceira Ponte por ser a terceira ligação construída unindo as cidades de Vitória e Vila Velha. Com um desenho arquitetônico que permite a passagem de navios que entram na baía de Vitória sob seu vão central de 70 metros, virou cartão postal da cidade.

Cinco Pontes

Se pelos trilhos que ainda existem ali muitos trens e bondes circularam, hoje só veículos com pneus de borracha fazem transportes pela ponte Florentino Avidos, a segunda ligação a ser construída para aproximar a ilha de Vitória ao continente. Deitada no lado sul de Vitória com início de construção a partir de 1911, é conhecida como Cinco Pontes por ser constituída de cinco vãos de aço que ligados formam toda a extensão. Arquitetura bonita para ser apreciada de perto e de longe.

Ponte da Passagem

A atual Ponte da Passagem inaugurada em 2010, veio substituir a antiga ponte datada de 1930. Concebida para ser um marco paisagístico da cidade, com estrutura arquitetônica em aço e um vão estaiado que permite a navegação no canal, representa um avanço para facilitar a fluidez no tráfego de carros e por agregar uma outra pequena ponte para pedestres e ciclista. Aqui duas imagens esféricas de momentos com e sem a ponte de ciclistas e pedestres.

Avenida Américo Buaiz

Me chamam a atenção esses poucos prédios espelhados dessa avenida que tem o nome em homenagem ao falecido empresário que fundou o maior shopping da cidade, na mesma via. Aqui também edifícios residenciais de alto padrão, o Iate Clube, as praças Dos Namorados, Da Ciência, Dos Desejos, acesso às ilhas Do Frade e Do Boi, e importante ligação das regiões norte e sul da cidade.

Gruta da Onça

Parque da Gruta da Onça, lugar de sombra, barulho de riacho e cheirinho gostoso de floresta bem no Centro de Vitória. O nome é dado pela escultura de onça que “guarda” uma pequena gruta logo na entrada do parque municipal de Vitória. Escadarias ingremes e sinuosas entre árvores levam o visitante ao mirante da Raposa, com boa vista da cidade. No caminho algumas casa escondidas entre a vegetação, uma capela, pássaros…gostoso de passear, mas as escadarias nos fazem suar. É bom respirar ali.

Romaria dos Homens

A maior manifestação católica dos capixabas. A Procissão, que reúne milhares de devotos (devotas também), conduz a imagem da padroeira Nossa Senhora da Penha num trajeto de pouco mais de 14 km que sai da Catedral de Vitória e segue a pé até o Convento da Penha em Vila Velha. Grupos organizados de diversas localidades do Estado marcam presença entoando cantos e orações. Se você não puder seguir o percurso escolha um local para ver essa paisagem em movimento passar, vale a pena.